...

 

Em 2012 aprendi que posso viver sem água, sem luz, sem internet, sem rede telefónica, sem televisão, sem comer carne de vaca, carne de porco, fiambre, peixe, bolinhos, salgados, pizzas e afins, que o mundo não acaba nem eu morro por causa disso. Aprendi que as pessoas têm uma capacidade de adaptação na adversidade que muitas vezes nem sabem. Que a cada momento somos capazes de nos superar e surpreender. Que, num ano e meio, dois pares de calças e cinco t-shirts servem perfeitamente. Que a Terra é um lugar imenso e que vale a pena ousar, sonhar, ir mais longe e determinarmo-nos por aquilo em que acreditamos. Aprendi que a saudade é das coisas mais difíceis de gerir e que a distância nos dá a exacta percepção de quem é quem na nossa vida. Em 2012 segurei na mão de Deus e confiei. Nele e em mim. Não me arrependi.